Atualizado semanalmente

Pesquisa

Pesquisa
Anuncie: 2977-6544. O mais eficiente veículo de divulgação. Distribuído e lido em 88 bairros da Zona Norte para um público de 500 mil leitores com circulação às sextas-feiras. Distribuição gratuita em bancas, prédios comerciais e residenciais, condomínios, clubes, imobiliárias, padarias e shoppings. 56 anos de tradição.
 
Com proximidade do verão, campanhas contra o Aedes aegypti devem ser reforçadas
 
Foto: Divulgação
Doença viral transmitida por mosquitos que ocorre em
áreas tropicais e subtropicais


Dados do Ministério da Saú­de indicam que durante o período de janeiro a agosto de 2019, foram registrados quase 1,5 milhão de casos de Dengue em todo o país, um crescimento de 599,5% em relação ao mesmo período de 2018. Com taxas de incidência inferiores à da Dengue, mas não menos preocupantes, os casos de Zika e de Febre Chickungunya também aumentaram na comparação com o ano anterior. A primeira teve um incremento de 47,1%, totalizando 9.813 casos confirmados. Já os registros da segunda doença, 44,2% de aumento, com 110.627 casos.

Por isso, com a proximidade do verão, época do ano com maior risco de transmissão dessas doenças, se torna ainda mais urgente alertar a população sobre as ações de prevenção ao mosquito Aedes aegypti. “Daí a necessidade de estados e municípios reforçarem as estratégias de intensificação da vigilância, campanhas de conscientização sobre hábitos que podem favorecer o surgimento e proliferação dos mosquitos e da vacinação em todo o país, especialmente nessa época do ano”, diz o biólogo Horácio Manuel Te­les, membro do CRBio-01 - Con­selho Regional de Biologia - 1ª Região (SP, MT e MS).

Bem adaptado às zonas urbanas, o Aedes aegypti se reproduz colocando ovos em locais com água parada. Portanto, uma das principais ações de prevenção ao mosquito é eliminar esses possíveis focos. “São as velhas dicas de cuidado com armazenamento irregular de pneus, pratos de vasos de planta, garrafas e outros objetos onde geralmente ocorrem acúmulo de água”, lembra o Biólogo. Ele ainda diz que o ideal é dar início à campanha de conscientização antes de um novo surto se instalar. “O melhor jeito de evitar o mosquito é impedindo sua reprodução”.

Abaixo, o membro do CRBio-01 lembra alguns cuidados que devem ser tomados para não criar ambientes propícios à reprodução do mosquito:

•Tonéis e caixas d’água devem estar bem fechadas;

•Fazer a manutenção periódica da limpeza das calhas;


•Armazenar garrafas com a boca para baixo;


•Utilizar tela nos ralos;


•Manter lixeiras sempre bem tampadas;


•Colocar areia nos pratos de vasos de plantas;


•Limpar os bebedouros de animais com escova ou bucha;


•Acondicionar pneus em locais cobertos;


•Eliminar água sobre as lajes;


•Fazer a coleta e eliminar detritos e entulhos em quintais e jardins.

 
Voltar

Veja a capa da edição:

Capa da Edição
Edição da semana

Para anunciar ligue:
2977-6544 / 2950-7919




Cinemark

É proibida a reprodução ou cópia de fotos, matérias, anúncios ou páginas sem a devida autorização.

   2002-2019 ©.