ÓTica Voluntários




Atualizado semanalmente

Pesquisa

Pesquisa
Anuncie: 2977-6544. O mais eficiente veículo de divulgação. Distribuído e lido em diversos bairros da Zona Norte para um público de 500 mil leitores com circulação às sextas-feiras. Distribuição gratuita em bancas, prédios comerciais e residenciais, condomínios, clubes, imobiliárias, padarias e shoppings. 59 anos de tradição.
 
Cansaço, pele seca, mudança de peso: pode ser que a sua tireoide precise de atenção!
 
Foto: Freepik/Divulgação
Procurar o médico e fazer exames de rotina é a melhor
forma de descobrir as disfunções da tireoide



A tireoide ou tiroide é uma glândula endócrina em forma de borboleta (com dois lobos), que fica localizada no pescoço, logo abaixo da região conhecida como Pomo de Adão. É uma das maiores glândulas do corpo humano e tem um peso aproximado de 15 a 25 gramas (no adulto). “Existem vários tipos de doenças da tireoide e cada um terá uma disfunção diferente. Quem tem histórico familiar é importante sempre ficar atento, mas geralmente fazem parte de rotina de outros médicos”, explica a endocrinologista, dra Marcia Seki.

É ela quem produz os hormônios tireoidianos (T3 e T4), responsáveis por diversos controles do organismo, como os batimentos cardíacos, os movimentos intestinais, a capacidade de concentração do cérebro, o tônus da musculatura, a regulação dos ciclos menstruais, do humor e da respiração celular. Controla, também, o armazenamento e a utilização de iodo e cálcio.

Quando a tireoide não está funcionando adequadamente pode liberar hormônios em excesso (hipertiroidismo) ou em quantidade insuficiente (hipoti­reoidismo).

“Os sintomas não são tão nítidos, podem parecer com sintomas de estresses da vida diária e a disfunção vai aparecer num exame de rotina. Então, geralmente, a grande maioria vai descobrir por acaso, por que o mais comum é ter um nódulo, ou o hipotireoidismo. Às vezes as pessoas tem um nódulo, mas não tem disfunção hormonal. E algumas disfunções precisam de tratamento, que pode ser medicamentoso. No caso do nódulo, as vezes precisa de biópsia, ou não precisa, tudo deve ser feito após a avaliação de um médico, no caso o endocrinologista”, analisa a médica. Segundo a doutora o hormônio da tireoide é imprescindível para a vida humana. “Se falta repõe e se for o contrário, inibimos o excesso. Por isso o exame de sangue, ultrassom são importantes durante um diagnóstico”, analisa Seki.

Hipotireoidismo

Se a produção de hormônio é insuficiente provoca hipotireoidismo. Tudo começa a funcionar mais lentamente no corpo: o coração bate mais devagar, o intestino prende e o crescimento pode ficar comprometido. Ocorrem, também, diminuição da capacidade de memória; cansaço excessivo; dores musculares e articulares; sonolência; pele seca; ganho de peso; aumento nos níveis de colesterol no sangue; e até depressão. Na verdade, o organismo nesta situação tenta “parar o indivíduo”, já que não há “combustível” para ser gasto.

Hipertireoidismo

Nesse caso a produção de hormônio é em excesso. Tudo no nosso corpo começa a funcionar rápido demais: o coração dispara; o intestino solta; a pessoa fica agitada; fala demais; gesticula muito; dorme pouco, pois se sente com muita energia, mas também muito cansada.

Tanto no hipo como no hipertireoidismo, pode ocorrer um aumento no volume da tireoide, e que pode ser detectado, através do exame físico. Problemas na tireoide podem aparecer em qualquer fase da vida, do recém-nascido ao idoso, em homens e em mulheres. Diagnosticar as doenças da tireoide não é complicado e o tratamento pode salvar a vida da pessoa.

Nódulos de Tireoide

Um dos problemas mais frequentes da tireoide são os nódulos, que não apresentam sintomas. Estima-se que 60% da população brasileira tenha nódulos na tireoide em algum momento da vida. O que não significa que sejam malignos. Apenas 5% dos nódulos são cancerosos. O reconhecimento deste nódulo, precocemente, pode salvar a vida da pessoa e a palpação da tireoide é fundamental para isso. Este exame é simples, fácil de ser feito e pode mudar a história de uma pessoa. Uma vez identificado o nódulo, o endocrinologista solicitará uma série de exames complementares para confirmar a presença ou não do câncer.

 
 Voltar

Veja a capa da edição:

Capa da Edição

Edição da semana

Para anunciar ligue:
2977-6544 / 2950-7919
Whatsapp  94861-1729
 
Veja as duas últimas edições
Ed. 3017 Ed. 3018
 

É proibida a reprodução ou cópia de fotos, matérias, anúncios ou páginas sem a devida autorização.

   2002-2022 ©.