Atualizado semanalmente

Pesquisa

Pesquisa
Anuncie: 2977-6544. O mais eficiente veículo de divulgação. Distribuído e lido em 88 bairros da Zona Norte para um público de 500 mil leitores com circulação às sextas-feiras. Distribuição gratuita em bancas, prédios comerciais e residenciais, condomínios, clubes, imobiliárias, padarias e shoppings. 57 anos de tradição.
 
Sebrae-SP transforma reeducandas em empreendedoras
 
Foto: Divulgação
Cerca de 300 reeducandas da PFS e PFC passaram pelo projeto 1.000 Mulheres


Com o apoio da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) e da Coordenadoria de Uni­dades Prisionais Região Metro­politana de São Paulo (Coremetro), as penitenciárias femininas de Sant’Ana (PFS) e da Ca­pital (PFC) capacitaram cerca de 300 sentenciadas no projeto “1.000 Mulheres”, promovido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

De junho a novembro de 2019, as reeducandas passaram pelos cursos de capacitação em empreendedorismo e gestão de negócios, além de empoderamento feminino e inclusão social por meio de trabalho e renda.

A proposta do Sebrae-SP é atender mulheres em situação de vulnerabilidade social no Estado de São Paulo, por isso a escolha de estabelecimentos penais femininos.

Estrutura do curso

Programado para acontecer no período de cinco dias consecutivos, o curso tem uma carga horária de 20 horas. O projeto enfatiza temas importantes para quem pretende começar um negócio, como planejamento estratégico, controle financeiro, formação de preço, inovação e venda. Toda a abordagem encontra-se resumida em apostilas preparadas, especialmente para a ação. O curso é totalmente gratuito e, ao final, são entregues certificados.

Para a diretora de projetos do Sebrae-SP, Joyce Santos, o objetivo do curso é fomentar o empreendedorismo como oportunidade de geração de trabalho e renda em qualquer aspecto da vida. Como exemplo prático de mulher protagonista de sua própria história, o Sebrae destaca a experiência da egressa Desirée Mendes. Quando estava presa, ela participou de um curso do Sebrae.

Já em liberdade, Desirée abriu sua confeitaria com base nas orientações do Sebrae. Segundo Joyce, ela continua sendo uma referência para todas as reclusas das penitenciárias paulistas e ainda ganhou o título de embaixadora da instituição.

Com essa vivência em foco, Joyce costuma orientar as alunas a fazer aquilo que têm afinidade pois, assim, o trabalho não será uma mera ocupação, mas algo satisfatório. Nesse sentido, a sentenciada C.A, revela que não perde o foco da vida em liberdade, tanto que pretende reabrir seu salão de beleza. Para alcançar seus objetivos, a reclusa aproveita todas as oportunidades oferecidas pela unidade prisional, incluindo trabalho e estudo, ambos com remição de pena prevista.

A diretora do Núcleo de Educação da PFS, Raquel Fer­reira, fez questão de destacar que, para a realização do projeto do Sebrae, a penitenciária levou em consideração as particularidades da unidade prisional para atender a demanda. Dentre as medidas tomadas estão aulas nos horários vespertino e noturno. Com isso, a direção atendeu reeducandas que exercem atividades laborterápicas durante o dia e que apresentaram o desejo em participar de um curso empreendedor, com vistas a um recomeço.

 
Voltar

Veja a capa da edição:

Capa da Edição
Edição da semana

Para anunciar ligue:
2977-6544 / 2950-7919
Whatsapp  94861-1729




FAKE NEWS - FIQUE ATENTO!

 

Veja as duas últimas edições
Ed. 2929 Ed. 2930

É proibida a reprodução ou cópia de fotos, matérias, anúncios ou páginas sem a devida autorização.

   2002-2020 ©.