Atualizado semanalmente

Pesquisa

Pesquisa
Anuncie: 2977-6544. O mais eficiente veículo de divulgação. Distribuído e lido em 88 bairros da Zona Norte para um público de 500 mil leitores com circulação às sextas-feiras. Distribuição gratuita em bancas, prédios comerciais e residenciais, condomínios, clubes, imobiliárias, padarias e shoppings. 57 anos de tradição.
 
Cuidados que devem ser tomados contra a dengue
 
Foto: Divulgação
Cuidados para se proteger contra a dengue


Além de nos preocuparmos com o covid-19, temos que nos preocupar também com a dengue. Vamos aproveitar que estamos de quarentena e cuidarmos do nosso jardim, quintal e qualquer coisa que possa transmitir a dengue. A dengue é uma doença febril grave, causada por um arbovírus. Arbovírus são vírus transmitidos por picadas de insetos, especialmente os mosquitos. Existem quatro tipos de vírus de dengue (sorotipos 1, 2, 3 e 4). Cada pessoa pode ter os 4 sorotipos da doença, mas a infecção por um sorotipo gera imunidade permanente para ele.

A dengue é transmitida pela picada do mosquito aedes aegypti. Após picar uma pessoa infectada com um dos quatro sorotipos do vírus, a fêmea pode transmitir o vírus para outras pessoas. Há registro de transmissão por transfusão sanguínea. A dengue, na maioria dos casos, tem cura espontânea depois de 10 dias.

A melhor forma de prevenção da dengue é evitar a proliferação do mosquito aedes aegypti, eliminando água armazenada que pode se tornar possíveis criadouros, como: pratos com vasos de plantas, latões contendo água, pneus, garrafas plásticas, piscinas sem uso e sem manutenção, e até mesmo recipientes pequenos, como tampas de garrafas.

Os principais sintomas da dengue são:

•Febre alta > 38.5°C;
•Dores musculares intensas;
•Dor ao movimentar os olhos;
•Mal estar;
•Falta de apetite;
•Dor de cabeça;
•Manchas vermelhas no corpo.

No entanto, a infecção por dengue pode ser assintomática (sem sintomas), leve ou grave. Neste último caso pode levar até a morte.

São sinais de alarme da dengue os seguintes sintomas:

•Dor abdominal intensa e contínua, ou dor à palpação do abdome;
•Vômitos persistentes;
•Acumulação de líquidos (ascites, derrame pleural, derrame pericárdico);
•Sangramento de mucosa ou outra hemorragia;
•Aumento progressivo do hematócrito;
•Queda abrupta das plaquetas.

 
Voltar

Veja a capa da edição:

Capa da Edição
Edição da semana

Para anunciar ligue:
2977-6544 / 2950-7919
Whatsapp  94861-1729






Veja as duas últimas edições
Ed. 2908 Ed. 2909

É proibida a reprodução ou cópia de fotos, matérias, anúncios ou páginas sem a devida autorização.

   2002-2020 ©.