Atualizado semanalmente

Pesquisa

Pesquisa
Anuncie: 2977-6544. O mais eficiente veículo de divulgação. Distribuído e lido em 88 bairros da Zona Norte para um público de 500 mil leitores com circulação às sextas-feiras. Distribuição gratuita em bancas, prédios comerciais e residenciais, condomínios, clubes, imobiliárias, padarias e shoppings. 57 anos de tradição.
 
Casa Verde completa 107 anos com importantes ações de zeladoria
 
Foto: AGZN
Rua Santa Eudóxia é uma das vias
que receberam melhorias



No século 19, um sítio, na margem do Rio Tietê levava o nome da Casa Verde, e o nome passou para o bairro. O sítio era propriedade de José Arouche de Toledo Rendon, que cuidava de suas sete irmãs, moradoras de uma casa com janelas verdes, na esquina da Rua do Rosário com o beco do Colégio. Elas eram conhecidas como as Meninas da Casa Verde. O povo logo se acostumou a usar o lugar como referência: “perto do sítio das meninas da casa verde”, “passando a Casa Verde”, o nome pegou e nunca mais saiu.

A origem do bairro de Casa Verde foi em 21 de maio de 1913, com a venda do primeiro lote pelos irmãos Rudge. O bairro chegou a ser batizado como Vila Tietê, mas popularmente continuou a ser chamado de Casa Verde.

O bairro foi se desenvolvendo lentamente, mas foi acelerando na medida em que a região recebia benefícios, como a construção de uma ponte de madeira para a travessia do Rio Tietê, implantação da primeira linha de bonde elétrico, construção das igrejas São João Evangelista e Nossa Senhora das Dores, além da chegada da rede elétrica no bairro.

Conhecido como terra de sambista e famoso por ser o bairro das escolas de samba, como a Império de Casa Verde e Morro da Casa Verde.

Com o passar dos tempos, o grande sítio acabou se tornando um aglomerado de pequenos bairros, todos com a mesma origem e história e quase com o mesmo nome, Casa Verde Alta, Casa Verde Média e Casa Verde Baixa.

Atualmente, Casa Verde tem recebido importantes serviços de zeladoria, como a pintura das faixas na Rua Santa Eudóxia. Por outro lado, persistem os pontos viciados de acúmulo de lixo como na esquina da Rua Gabriel Covelli com Francisco Diogo, entre outros.

Até 2011, o bairro contava com o Hospital Casa Verde, que era administrado por uma empresa que faliu. Desde então, o prédio está inutilizado. Atualmente, o local recebe reformas realizadas pelos atuais proprietários para que um dia possa voltar a abrigar uma unidade de saúde, mas até o momento, não há uma iniciativa concreta por parte do poder público para isso. 
 
Voltar

Veja a capa da edição:

Capa da Edição
Edição da semana

Para anunciar ligue:
2977-6544 / 2950-7919
Whatsapp  94861-1729






Veja as duas últimas edições
Ed. 2908 Ed. 2909

É proibida a reprodução ou cópia de fotos, matérias, anúncios ou páginas sem a devida autorização.

   2002-2020 ©.