Atualizado semanalmente

Pesquisa

Pesquisa
Anuncie: 2977-6544. O mais eficiente veículo de divulgação. Distribuído e lido em 88 bairros da Zona Norte para um público de 500 mil leitores com circulação às sextas-feiras. Distribuição gratuita em bancas, prédios comerciais e residenciais, condomínios, clubes, imobiliárias, padarias e shoppings. 57 anos de tradição.
 
Hospital Municipal de Campanha do Anhembi encerra atividades
 
Foto: Divulgação/SPTuris
Complexo encerrou na terça-feira (8/9), as suas atividades, depois de
cinco meses no atendimento à covid-19, na cidade de São Paulo


O Hospital Municipal da Cam­panha do Anhembi encerrou suas atividades e já começou a ser desmontado na última semana. A partir do anúncio da previsão de encerramento das atividades no último dia 3, o HMCamp Anhembi não recebeu mais pacientes por meio da regulação de vagas do município e do estado. O encerramento das atividades se deu pela queda nos índices de internação no município.

Desde a sua inauguração, em 11 de abril, foram 6.353 pacientes atendidos. Destes, 5.282 receberam alta e puderam retornar para casa. No período, foram realizadas 1.023 transferências de pacientes para outras unidades de Saúde e 32 óbitos. O tempo médio que os pacientes passaram por tratamento no local: de seis dias em enfermaria e de quatro dias nos leitos de estabilização.

O HMCamp do Anhembi teve um investimento inicial, de montagem, de R$ 7,5 milhões. O custo mensal de manutenção, até 1º de agosto, era de aproximadamente R$ 28 milhões. Com o fechamento parcial dos leitos, o custo mensal de manutenção caiu para, aproximadamente, R$ 9 milhões por mês.

A estrutura do HMCamp Anhembi foi criada para receber até 1.800 leitos, porém, por demanda, foram utilizados 871 leitos, sendo, 807 de enfermaria e 64 de estabilização. É válido ressaltar que, os pagamentos só eram realizados pelos leitos utilizados, não onerando o erário por leitos não utilizados. Todos os equipamentos (insumos, medicamentos, colchões, respiradores, entre outros) da unidade serão reutilizados nos hospitais da rede municipal e, a maioria dos profissionais, serão realocados em unidades municipais da Saúde da capital.

A unidade foi administrada sob contrato de gestão com a Secretaria Municipal da Saúde pela SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Me­dicina) e pelo Instituto de Aten­ção Básica e Avançada à Saúde (IABAS). 
 
Voltar

Veja a capa da edição:

Capa da Edição
Edição da semana

Para anunciar ligue:
2977-6544 / 2950-7919
Whatsapp  94861-1729




FAKE NEWS - FIQUE ATENTO!

Veja as duas últimas edições
Ed. 2925 Ed. 2926

É proibida a reprodução ou cópia de fotos, matérias, anúncios ou páginas sem a devida autorização.

   2002-2020 ©.