Atualizado semanalmente

Pesquisa

Pesquisa
Anuncie: 2977-6544. O mais eficiente veículo de divulgação. Distribuído e lido em 88 bairros da Zona Norte para um público de 500 mil leitores com circulação às sextas-feiras. Distribuição gratuita em bancas, prédios comerciais e residenciais, condomínios, clubes, imobiliárias, padarias e shoppings. 57 anos de tradição.
 
Câncer de Próstata: prevenção ainda é o melhor caminho
 
Foto: Divulgação
Em tempos de pandemia, especialista do Hospital
São Camilo de São Paulo reforça a importância da
realização de exames para o diagnóstico precoce




O Câncer de Próstata é o segundo tipo de tumor mais comum entre os homens brasileiros, ficando atrás apenas do Câncer de Pele não-melanoma, segundo o Inca (Instituto Nacional de Câncer).

A doença é uma das que menos apresenta sintomas, podendo ser totalmente silenciosa. Muitos sinais passam despercebidos, como incômodo ao urinar e dificuldades de ereção, que podem ser confundidos como sinais comuns ao avanço da idade.

O envelhecimento e a hereditariedade são os principais fatores para o desenvolvimento dessa enfermidade, elevando a necessidade de realizar exames regularmente. Para quem tem histórico familiar, é recomendável fazer o exame de toque retal a partir dos 45 anos, cinco anos antes em comparação a quem não tem casos na família.

Segundo o dr. Davi Abe, urologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, a pandemia e o isolamento fizeram com que muitos homens deixassem de fazer o exame preventivo. “Vimos que o medo da Covid-19 foi o principal fator para a diminuição da procura de muitos pacientes, dificultando a detecção da doença em seu estágio inicial”, afirma.

Dados de uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) indicam que, em função da pandemia, 55% dos homens acima de 40 anos deixaram de fazer alguma consulta ou tratamento médico.

“Esse número é preocupante”, destaca o urologista. “Segundo o Inca, estima-se mais de 65 mil novos casos somente no Brasil este ano. Já conseguimos identificar que tivemos uma redução de 70% dos exames laboratoriais de PSA e de toque retal durante este período de isolamento social”, explica.

Além da pandemia, outro fator que faz com que os pacientes não procurem o urologista é o preconceito que a doença e o exame de toque retal carregam. “Ainda hoje vemos uma dificuldade por parte dos homens de procurarem os exames, pois a supervalorização da atividade sexual e o medo da impotência ainda são um peso para muitos pacientes”, afirma dr. Davi Abe.

Autocuidado

O Câncer de Próstata tem maior incidência na terceira idade, atingindo, em 75% dos casos, homens a partir dos 65 anos.
De acordo com o especialista, quanto mais cedo o exame for realizado, maiores as chances de cura. “O autocuidado é primordial, pois a doença raramente apresenta sintomas em estágio inicial. Se detectada rapidamente, o Câncer de Próstata pode ser, estatisticamente, curado em 90% dos casos”, explica.

Apesar de elevar as possibilidades de cura se identificada em sua fase inicial, segundo o urologista, a doença também pode ser curada em estágio avançado. “A medicina está tão avançada que hoje há várias novidades de tratamento, mesmo para casos mais complexos”.

 
Voltar

Veja a capa da edição:

Capa da Edição
Edição da semana

Para anunciar ligue:
2977-6544 / 2950-7919
Whatsapp  94861-1729



FAKE NEWS - FIQUE ATENTO!

Veja as duas últimas edições
Ed. 2935 Ed. 2936

É proibida a reprodução ou cópia de fotos, matérias, anúncios ou páginas sem a devida autorização.

   2002-2020 ©.