LIGUE 180



Atualizado semanalmente

Pesquisa

Pesquisa
Anuncie: 2977-6544. O mais eficiente veículo de divulgação. Distribuído e lido em 88 bairros da Zona Norte para um público de 500 mil leitores com circulação às sextas-feiras. Distribuição gratuita em bancas, prédios comerciais e residenciais, condomínios, clubes, imobiliárias, padarias e shoppings. 58 anos de tradição.
 
Sistema Cantareira opera em sua faixa de restrição devido queda dos índices
 
O Sistema Cantareira passou a operar desde o último dia 2, em sua faixa de restrição devido à queda no índice de seus reservatórios. Apesar das chuvas de outubro, que foram superiores à média histórica do mês com 116 milímetros, o reservatório apresentou queda, com apenas 28,4% do volume de sua capacidade  De acordo com a Agência Nacional de Águas (ANA), o reservatório entra em faixa de restrição quando chega a um volume útil acumulado, igual ou maior que 20% e menor que 30%. Para ser considerado normal, o volume do manancial tem de estar com, pelo menos 60% de sua capacidade. Dessa forma, a mudança de faixa de alerta para o de restrição, diminui a quantidade de água que a Sabesp pode retirar do reservatório. O sistema Cantareira é o maior reservatório de água da região metropolitana e abastece cerca de 7,2 milhões de pessoas por dia.  Caso o volume útil do reservatório caia para 20%, deve ser adotada a fase especial, quando o sistema tem volume útil menor que 20%, diminuindo ainda mais a quantidade de água que a Sabesp pode retirar; caí­da de 27m³/s para 23m³/s. De acordo com a Sabesp a retirada de água, já segue o limite de 23m³/s, uma vez que o sistema Cantareira faz parte do Sistema Integrado, que conta com outros mananciais como: Alto Tietê, Cotia, Guarapiranga, Rio Claro, Rio Grande e São Lourenço. De acordo com especialistas, a mudança de fase é um importante mecanismo para alertar a população para a necessidade de diminuir o consumo de água. Até o momento, não há previsão de medidas mais drásticas como racionamento, porém não há indícios de chuva suficiente para normalizar o nível dos reservatórios.
Apesar da chuva acima da média para o período,
nível do Sistema Cantareira cai



O Sistema Cantareira passou a operar desde o último dia 2, em sua faixa de restrição devido à queda no índice de seus reservatórios. Apesar das chuvas de outubro, que foram superiores à média histórica do mês com 116 milímetros, o reservatório apresentou queda, com apenas 28,4% do volume de sua capacidade.

De acordo com a Agência Nacional de Águas (ANA), o reservatório entra em faixa de restrição quando chega a um volume útil acumulado, igual ou maior que 20% e menor que 30%. Para ser considerado normal, o volume do manancial tem de estar com, pelo menos 60% de sua capacidade.

Dessa forma, a mudança de faixa de alerta para o de restrição, diminui a quantidade de água que a Sabesp pode retirar do reservatório. O sistema Cantareira é o maior reservatório de água da região metropolitana e abastece cerca de 7,2 milhões de pessoas por dia. 

Caso o volume útil do reservatório caia para 20%, deve ser adotada a fase especial, quando o sistema tem volume útil menor que 20%, diminuindo ainda mais a quantidade de água que a Sabesp pode retirar; caí­da de 27m³/s para 23m³/s. De acordo com a Sabesp a retirada de água, já segue o limite de 23m³/s, uma vez que o sistema Cantareira faz parte do Sistema Integrado, que conta com outros mananciais como: Alto Tietê, Cotia, Guarapiranga, Rio Claro, Rio Grande e São Lourenço.

De acordo com especialistas, a mudança de fase é um importante mecanismo para alertar a população para a necessidade de diminuir o consumo de água. Até o momento, não há previsão de medidas mais drásticas como racionamento, porém não há indícios de chuva suficiente para normalizar o nível dos reservatórios. 
 
 Voltar

Veja a capa da edição:

Capa da Edição

Edição da semana

Para anunciar ligue:
2977-6544 / 2950-7919
Whatsapp  94861-1729
 
Veja as duas últimas edições
Ed. 2984 Ed. 2985
 

É proibida a reprodução ou cópia de fotos, matérias, anúncios ou páginas sem a devida autorização.

   2002-2021 ©.