Atualizado semanalmente

Pesquisa

Pesquisa
Anuncie: 2977-6544. O mais eficiente veículo de divulgação. Distribuído e lido em 88 bairros da Zona Norte para um público de 500 mil leitores com circulação às sextas-feiras. Distribuição gratuita em bancas, prédios comerciais e residenciais, condomínios, clubes, imobiliárias, padarias e shoppings. 58 anos de tradição.
 
Cena Livre
 Paschoal XIII
Foto: Sérgio Silva/Divulgação
Cena de Samaúma - A Árvore Mãe

CONTEMPLADA pelo Edital ProAC 06/2019 e integrante de uma tetralogia, Samaúma - A Árvore Mãe faz temporada digital desde 5 de junho pelo Facebook do Teatro João Caetano. Dias 12 e 13 de junho, apresentações pelo Facebook do Teatro Alfre­do Mesquita, em Santana. A peça é uma produção da Cia da Tribo, que comemora 25 anos em 2021. Criado por Milene Perez e Wanderley Piras, o grupo trabalha há décadas com artistas especialmente convidados para cada uma de suas produções.

NESTA PEÇA, a Cia compartilha com o público uma leitura poética sobre símbolos e mitos ligados à árvore Samaúma, considerada sagrada por diversos povos originários. Com a temática e a estrutura previamente pesquisada pelo grupo, Milene e Wanderley decidiram convidar o dramaturgo Marcelo Romagnoli para escrever o texto final da obra. “O argumento e a visualidade já estavam bem estruturados, então fui convidado para propor alguns caminhos e referências à peça, incluindo uma mensagem importante sobre a preservação da natureza sem cair nos lugares comuns, fazendo com que o público reflita verdadeiramente sobre isso”, conta Romagnoli.

SAMAÚMA é o nome de uma grande árvore da Amazônia, considerada sagrada para muitos povos das florestas. Debaixo de seu tronco, acreditam existir um mundo misterioso, habitado por seres e espíritos mágicos. Essa árvore, que pode chegar a 80 metros, abarca um ecossistema imenso ao seu redor e é tida por muitos indígenas como uma mãe. Um dos mitos a seu respeito conta sobre uma comunicação possível entre indígenas por meio das raízes imensas dessa árvore, que se espalham por grandes extensões territoriais na mata.

A CIA DA TRIBO estruturou Samaúma - A Árvore Mãe como um trabalho que pode ser apresentado nos palcos, com o público, da mesma forma da transmissão em formato digital. “A captação de vídeo, feita pela cineasta Karina Barros, privilegia muito o aspecto teatral dessa montagem - queremos que o público se sinta de fato perto da gente enquanto não é possível que ele esteja lá, de fato”, diz Milene. Antes de cada exibição, a Cia da Tribo conversa rapidamente com o público, recepcionando-o para o espetáculo que se inicia em seguida.

SAMAÚMA - A ÁRVORE MÃE tem exibição no Teatro Alfredo Mesquita simultanea­mente no Facebook do Teatro: www.facebook.com/teatroalfredomesquita. No YouTube: www.youtube.com/channel/UChDpaWZkLl1T_CU6CYJ9NLQ, e no Facebook da Cia da Tribo: www.facebook.com/CIADATRIBO

TAMBÉM DIAS 12 e 13 de junho, sábado e domingo, às 16 horas, Cia da Tribo simultaneamente no Facebook: www.facebook.com/CIADATRIBO, no YouTube: www.youtube.com/user/PirasWanderley, e no Facebook da Casa da Ladeira (Espaço Cul­tural da Cia da Tribo): www.facebook.com/acasadaladeira

DIAS 19 E 20 de junho, sábado e domingo, às 16 horas, simultaneamente no Facebook do Teatro Cacilda Becker: www.facebook.com/TeatroCacildaBeckerSP, no YouTube: www.youtube.com/channel/UCnXGLvmqpJFR3kVYUW1abxQ, e no Facebook da Cia da Tribo: www.facebook.com/CIADATRIBO

COM DRAMATURGIA de Sérgio Roveri e André Guerreiro Lopes, estreia Insônia - Titus Macbeth, espetáculo criado a partir de duas das maiores tragédias de William Shakespeare, protagonizadas por Helena Ig­nez e Djin Sganzerla. Gratui­tamente, as apresentações acontecem sempre às 20 horas até 30 de junho. Retirada de ingressos através da plataforma Sympla.

Foto: Cassandra Mello/Divulgação
Cena de Insônia - Titus Macbeth


INSÔNIA - TITUS MAC­BETH, sob a direção de André Guer­reiro Lopes, foi apresentado no Sesc Paulista em setembro de 2019, com temporada de sucesso absoluto de público, tendo todas sessões esgotadas, rendendo duas indicações para o Prêmio Shell. melhor atriz, Helena Ignez e melhor figurino Simone Nina, que recebeu o prêmio, além de indicações como Melhor Direção, Melhor Espetáculo e Melhor Dra­maturgia Sonora no Prêmio Aplauso Brasil.

EM SUA CONCEPÇÃO, havia a ideia de transposição de princípios do cinema para a cena, mas não de uma forma explícita.

DESSA FORMA o espectador escolhia a cada momento seu ponto de vista pessoal para as violentas tragédias de Macbeth e Titus Andronicus, um ponto de vista que era fluido e demandava uma atitude, como se cada indivíduo do público fosse uma câmera: livre para escolher em que focar, podendo assistir a cenas em close aproximando-se dos atores, em “plano geral” distanciando-se da cena, fixo em um local específico, em travelling caminhando durante a apresentação, etc. Havia essa ideia de imersão total, para que o público não ficasse passivo. Caixas de som foram espalhadas por todo o teatro, para um ambiente sonoro polifônico, de 360°, como em uma sala de cinema.

PARA A VERSÃO on-line do espetáculo o processo foi revertido, transpondo os princípios estéticos da cena para o audiovisual. A peça foi filmada em três planos sequências durante três apresentações distintas, com os cinegrafistas fazendo exatamente o mesmo papel do público: deslocando-se livremente por entre os atores, escolhendo a cada momento novos pontos de vista, decidindo enquadramentos no calor da hora.

ESSE MATERIAL inédito forma o conteúdo principal da edição da versão online, que conta ainda com algumas cenas de ensaio, em uma montagem que embaralha os tempos: há o tempo teatral da ficção, o tempo distinto de quando cada filmagem foi feita e o tempo passado dos ensaios, tudo isso presente no hoje, na experiência do espectador em casa durante a pandemia.

NA TRAMA, Lady Macbeth, interpretada por Djin Sganzerla, nos conduz por uma história de ambição e assassinato, enquanto seguimos Titus, interpretado por Helena Ignez, em sua insana busca por vingança. As câmeras circulam livremente entre os atores em uma grande instalação, criando para o espectador a sensação de estar dentro do palco, junto dos personagens. A trilha sonora binaural completa a experiência, criando efeitos sonoros tridimensionais, sons e vozes que parecem vir de todas as direções.

INSÔNIA - TITUS MAC­BETH tem apresentações de segunda a domingo, às 20 horas até 30 de junho. Sessões extras as quartas e domingos às 16 horas, com legenda em inglês. Não haverá apresentações entre os dias 14 e 18 de junho. Reserve seu ingresso gratuito na plataforma da SYMPLA: www.sympla.com.br
 Voltar
 

Veja a capa da edição:

Capa da Edição
Edição da semana

Para anunciar ligue:
2977-6544 / 2950-7919
Whatsapp  94861-1729


Ótica Voluntários

Veja as duas últimas edições
Ed. 2960 Ed. 2961

 

É proibida a reprodução ou cópia de fotos, matérias, anúncios ou páginas sem a devida autorização.

   2002-2021 ©.